terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Infância


Descrição: Cidadão 20 e poucos anos, blusa, bermuda e papete no pé, ouvindo um MP4 e chupando uma casquinha mista. Há algo de errado nisso? Parece que sim, esse era eu agora a pouco na rua, indo pagar uma conta e todo mundo ficava me encarando, de fato, muito suspeito, mas nem liguei, estava entredito na música, ouvindo Michael Jackson, eu adoro Michael Jackson, ele é bom demais, fala sério? Ouvindo ele me lembrei de crianças, vai saber por que né? Descobri o Michael na minha infância e ele já havia estourado no mundo.

Eu, quando era criança era bobo demais, não que não seja hoje, ainda sou, mas tento disfarçar, mas naquela época não fazia cerimônias para esconder, era meio bocó mesmo, daquele tipo de criança que empina pipa no ventilador e joga bolinha de gude no tapete, também tinha medo de tudo, tudo mesmo. Meu pai sempre me perguntava se eu era um homem ou um saco de batatas e eu com lágrimas nos olhos, respondia que era o saco, meu lema ainda criança era, "Mais vale um covarde vivo do que um herói morto". Ainda é.

Eu tive uma infância feliz, estava sempre no mundo da lua, gostava de desenvolver brincadeiras que vinham direto da minha imaginação, eu e meu amigo imaginário, o Breno, que aqui em casa todo mundo diz que eu só deixei de conversar com ele na vida adulta; Isso é motivo de piada na família até hoje. Eu e o Breno gostávamos de fazer receitas especiais, chupar gelo raspado do congelador com açúcar, misturar Nescau com água, comer pão com pasta de dente, entre uma caquinha de nariz e outra. Enfim, era uma criança “saudavelmente” normal.

Alfie menino de 13 anos, inglês, que ganha as manchetes do mundo inteiro por tornar-se pai, com toda certeza acha que minha infância foi chata, enquanto eu estava no muro fingindo ser um equilibrista, com uma platéia enorme, ele preferiu ficar no muro vendo as outras meninas mais velhas passarem, enquanto eu pulava amarelinha, ele optou em pular com outras meninas, pulou, pulou, e agora é papai.

Eu na minha infância queria aqueles robôs, que erguiam o braço, diziam qualquer comando e acendiam uma luz em seu dedo como se lançasse um raio mortal. Alfie leva a vida mais a sério do que eu, ele quis um brinquedo de verdade e está com um bebê em seus braços, que não soltará raios é verdade, mas dará muito trabalho aos inimigos intergalácticos.

Se o Alfie repetir alguns anos poderá estudar com o filho, jogar bola com ele, paquerar outras meninas, e até disputar quem “pega” mais na "balada". Isso se ele não estiver casado é claro. Alfie é bem dotado, e não pense por outro lado, já pensou né? Não sou malicioso como Alfie, quero dizer superdotado, na inteligência, pelo menos é o que eu imagino ou espero. Desses que vivem a frente do nosso tempo, tomara que ele já arrume um emprego, que seja promovido, que obtenha ascensão rapidamente, e que até abra sua própria empresa. E que ele faça uma linda coisa para ele mesmo e para humanidade, algo diferente de seus pais. Eduque seu filho.

35 comentários:

Lidia disse...

Adorei ,eu tenho trze anos, mas a minha infancia (ou seja qnd eu era bem pekena) foi tipo a sua ,não igual ao "paizinho"

Muito boa postagem

Felipe Santos disse...

Puts cara vc lembrou do Robo que levanta os braços e fala... Eu tinha um desses!!! Antes do meu pai falir ele me comprou um desses.

Minha infancia foi uma mistura da sua com a do Alfie que alias não deve ser superdotado... se fosse tinha comprado uma camisinha pequena ahushauhsu

Anônimo disse...

Pois é...é uma cronica mais séria pra fazer a gente pensar mesmo em como foi nossa infancia e como as crianças de hoje em dia são infelizes

Liipee disse...

interessante.
QHWUqhwQ
Li o texto..
engraçado até..
bom, michael, é Mara..
primeiramente né?

sobre, sua infância, ser bocó é foda..
eu quando criança era esperto, ou pelo menos me achava.. sempre me enturmei com gente mais velha, o que me fazia apanhar muito !
sempre gostei de estar lá embaixo, até 2horas da manhã, escutando os velhos falando, mentindo e se vangloriando por estarem transando com as suas empregadas.
Minha infância, foi legal.
comi primas, empregadas,amigas de minha mãe e etc.
mas nem por isso to com filho, UFA, graça a Deus !
bom..
tenho medo de quase tudo ainda, antes não tinha, hoje tenho.
mas se for pra morrer, sendo herói, e por Deus, ou por alguém de minha família, estou apto.
:)
PS:APTO, se escreve assim?

Ana Moore disse...

Adorei seu blog!

RAUL LIMA disse...

lição de moral!
kkk
me identifiquei no texto com relação às brincadeiras de criança

Fernanda Lemos disse...

Ah que saudade! Sinto muita faltas das minhas sandálias que mudavam de cor no sol ! =/ . rsrs. muito bom seu texto, mesmo!

;*

Ricardo disse...

Parabéns pelo blog :D

até +

http://englobando.blogspot.com/

*Anne* disse...

Ah nada como ser criança né!!!Época em que a gente podia falar sozinho a vontade,que isso logo seria associado a algum amigo imaginario,e não a esquizofrenia!!!
o.0
Bom,adorei o texto e o recadinho moral no final...
^^

Walter Jr. Nuno disse...

Opaaa, arrazou.
Eu gostava daqueles robôs também rsrsr.
Um caso sério esse lance do Alfie, mas nem me surpreendi, tive um amgigo que foi pai aos 14 e uma amiga aos 16. Os chamo de burros até hj hehe

abrcs.

Passa no blog:

http://esculhambar.blogspot.com/

ovolumeunico disse...

pediu pra eu visitar... to aqui!
gostei do seu blog.
abraço

Flá Romani... disse...

Que saudades da infância

ah vou te linkar no meu blog OK!!!

Paulo Castro disse...

Muito bom teu blog, es um cara muito inteligente parabens

Marco H. Strauss disse...

Cara, gostei do post! Concordo contigo, ainda sou novo, mas já fico pasmo com esse caso! oO E como tu disse, torçamos para que ele sim consiga educar seus filhos, diferente do que seus pais fizeram! Abraço

Marco H. Strauss disse...

Ah só pra constar, ainda não li todos os posts, mas vou começar a acompanhar teu blog, muito bom! Valeu

Isabela Seabra disse...

Parabéns! Muito bem escrito, e concordo com você.
Todos na rua reprimem o jeito que você é, se está sendo você mesmo.
Ou seja, diferente do que eles são.

Renan Barreto disse...

Olha, eu não me espanto com a noticia do menino não. Tem tantos assim no BRasil. É lógico que ele é uma criança e não está preparado pra essa responsabilidade, aliás nem eu estou. Filho só daqui há uns 8 ou 9 anos. A minha infância não tem fim, às vezes acho que vivo na terra do nunca. Não na do Michael, mas na de PEter Pan.

Valeu!

SaintSeya disse...

É....tomara que ele seja mesmo superdotado e pense em dar uma educação e uma infância digna ao seu filho.
Mas acho isso difícil, pois hoje cada dia mais as crianças estão precoces e isso pode ter certeza se tornará corriqueiro.Abraços.

Walder Neto disse...

"Alfie menino de 13 anos, inglês, que ganha as manchetes do mundo inteiro por tornar-se pai, com toda certeza acha que minha infância foi chata, enquanto eu estava no muro fingindo ser um equilibrista, com uma platéia enorme, ele preferiu ficar no muro vendo as outras meninas mais velhas passarem, enquanto eu pulava amarelinha, ele optou em pular com outras meninas, pulou, pulou, e agora é papai."

Muito bem escrito. Parabéns!!!!

http://bignoticiaseentretenimento.blogspot.com

Ju disse...

Olá! Gostei muito do seu texto, parabéns!

Legal o blog ;)

Ana.com disse...

Olá, segui a dica que deixou no meu orkut...adorei o blog!!!

Sim disse...

hehe
adorei o texto
Muito bom mesmo XD
.....

http://celtasim-h.blogspot.com/

Gabriel → Bloga╝ disse...

Eu também tinha um robô que mexia os braços e falava. Gostarai de julgar (é bom julgar os outros), mas estou aprendendo a falar somente o que interessa ou que não afete ninguém.

Esse garoto, bom, infelizmente vai no futuro reclamar de ter feito, vai resmungar, vai talvez pensar bem no que fez, porque hoje em ida, ele deve se achar um adulto e um cara que fez uma coisa de adulto. E ainda: vai pensar que ser homem é isso. Também concordo com ovcê no que você com respeito a ele saber dar educação ao filho.

Posso te linkar? Obrigado ^^

Abraços!!!

Gabriel → Bloga╝ disse...

Esqueci e gostaria de comentar: hoje em dia, com 16 pra 17 anos (em 10 de maio) estou mais criançao do que antes até. Não, eu não tenho atraso mental (que bom), é que agora eu já tenho opinião própria, espíirito revolucionário (típico da idade ^^) e n]ão penso mais 500000000 vezes antes de falaro ou fazer e ficar me remoendo depois por não ter feito isso, aquilo ou de ter feito algo errado.

Abraços de novo ksksksksks....

Marco Antonio disse...

Alguém se inspirou aí?

Ah a infância, vista desse ponto é tão mais aprazível, não?
Eu tinha um robô que meu irmão morria de medo dele. E ele piscava um olho vermelho... era muito maneiro.
Tenho saudade da minha, de coração.

Esconderijo disse...

É meu camarada, a infância.... Oh tempo bom. Cada um com suas características, mas aproveitando esse momento especial da vida. E esse jovem (criança) americano, o que será dele? Na verdade, colocou no mundo mais um filho para os pais criarem.

Passe lá no esconderijo:
http://escondidin.blogspot.com/
Um abraço>

J. Besouro disse...

E o pior não é nem esse garoto aparentar uns 10 anos de idade, mas talvez, houverem outros rapazes até mais velhos, que possam ser o pai dessa criança.

www.casadobesouro.blogspot.com

Raul Rais disse...

Quando era pequeno eu gostava de brincar com os meus robôs, ir na casa da minha vó brinca com meu primos, isso sim é infancia feliz, e não a do mais novo pai no mundo.

Hoje eu estou com 19 anos e quando me lembro dessa época tenho saudades, era muito bom, não tinha que me preocupar com trabalho, estudos e contas para pagar.

voltarei sempre que puder!

Flávia Helena disse...

Ótima postagem, ótimo blog! Gostei de verdade. Sempre me pergunto sobre como a sociedade hoje em dia é diferente de uns tempos atrás...e sempre me comparo, quando lembro do que sabia (ou melhor, do que não sabia) na minha infância, e o que as de hoje em dia fazem....
Muito bom!

http://popin-peep.blogspot.com/

Victor Hugo disse...

Nossa Neto, você escreve muito bem, prendeu minha atenção. É muito interessante essa questão de infância. Hoje ser criança é apenas estar apenas em uma faixa etária e não um ser inocente capaz de aprender e estar feliz na maioria dos momentos. Hoje, ser criança é brigar com os pais por causa de um Ipod p/ ouvir Rihanna, "entender" como se faz sexo, assistir filmes do tipo: Jogos Mortais, Resident Evil, etc. Agora, não vamos dizer que isso é apenas culpa dos pais porquê não é. A mídia é o principal culpada por isso. Um dia desses estava assisyindo a minissérie de Star Wars no Cartoo Network e começou a passar umas propagandas de umas meninas dançando e tal com um short bem curto e todas maquiadas. Eu morri de rir, elas pareciam umas travestis... Bom, sorte minha que não vi essas coisas na minha infância. Bjo, Victor.
Parabéns pelo Blog, sensacional!

Maah Cris disse...

As crianças nos dias de hoje tem uma infinidade de brinquedos né? Tenho 16 anos, e quando era menor, ia muito ao simba safari com meu pai. Gostei do seu texto. PS: Voc me deixou um scrap no orkut pra mim visitar, (a maah cris) . Beeeijo. http://blogs.abril.com.br/blogdama

Fábio disse...

eu tbm tinha um amigo imaginario... hehhe
abraço!

Lari. disse...

Oi Neto!
Atendendo ao seu convite, cá estou eu!
Quando leio sobre essas crianças que vivem vidas precoces, fico pensando na criança boba que sou. Ontem brincando de boneca e hoje brincando de construir um futuro sólido. Penso no tempo que perco ao invés de desfrutar os prazeres daquela vida tão adulta delas.

Mas, depois, paro e percebo que bobos são eles. Eu prefiro ser feliz.

Vítor Torrez disse...

Muito bom o post!
Achei um absurdo quando li a notícia pela primeira vez.
O menino ainda tinha orgulho do que tinha feito...Um absurdo....

Gostei bastante do blog.

Abraços
Vítor Torrez
http://insanoraciocinio.blogspot.com/

Alexandre disse...

hauhauhua
Muito bom..
Minha infância foi booa tbm.
Mas não como eu queria que fosse :(
Enfim, parabéns pelo seu Blgo!
Um dos melhores que já vi
Grande abraço

.....
http://alexandremouro.blogspot.com